fbpx

O boom do microlearning

O boom do microlearning

De cada 10 eventos hoje sobre T&D, 10 levam em sua grade de programação um conteúdo ou alguma atividade sobre microlearning. E não é para menos. Se nos últimos o mercado de Educação Corporativa já vinha passando por grandes transformações, incorporando cada vez mais novas tecnologias e abordagens, visando garantir mais efetividade, engajamento e resultados reais para os seus programas de treinamentos, a partir desse ano de 2020, um ano atípico, houve uma explosão das atividades digitais e virtuais. E a corrida para a adoção do microlearning é um componente muito importante dessa equação maior.

Afinal de contas, o que é Microlearning?

Como que ele é colocado em prática? Será que eu devo apostar em microlearning? microlearning (do inglês micro aprendizagem) é uma abordagem de ensino que transmite pequenas doses de conhecimento em um curto espaço de tempo. O objetivo do microlearning é construir um conteúdo complexo através de pequenas partes, em forma de sessões de aprendizagem.

As aulas (ou atividades) do microlearning acontecem em um tempo curto, com uma linguagem simples, de fácil compreensão e podem contar com o apoio de recursos multimídia, como vídeos, por exemplo. Por ter um conteúdo rápido, muitas pessoas optam por oferecer um curso de microlearning em um ambiente online, pois é muito mais fácil disponibilizar videoaulas de 3 minutos em uma plataforma EAD do que promover encontros presenciais por um tempo tão pequeno.

“Muitas pessoas tentam fazer uma conceituação do que é e do que não é microlearning, mas isso é o menos importante. O mais importante sobre microlearning é: você vai aprender de maneira rápida, simples e intuitiva e em qualquer lugar, essa é a sua maior vantagem”, explica Flora Alves, Flora Alves, CLO da SG – Aprendizagem Corporativa.

Com o microlearning é possível aplicar dicas, pílulas de conhecimento de forma rápida e que atinja o público dentro daquilo que ele realmente precisa. “O microlearning é muito usado para darmos aquelas “mensagens chaves” e o mais importante, nós conseguimos gravar de onde estivermos, com um celular, e assim passar a informação de forma ágil. Temos também outras formas além do vídeo que são ferramentas de microlearning, como o podcast. Importante frisar que um treinamento não substitui o outro, o microlearning não substitui o treinamento mais profundo, se caso assim for necessário”.

A ideia do microlearning é gerar um aprendizado rápido e intuitivo conectado com a realidade de um grupo específico. “Ele ajuda na introdução de temas, explicações de tópicos menos complexos, manutenção de treinamentos previamente aplicados, mas a ideia principal é que as pessoas possam absorver conteúdos em um espaço de tempo curto abordando os principais tópicos sobre o assunto que quer treinar”.

O que não é microlearning

Agora, o que não é microlearning? Sabe aqueles vídeos longos de 45 minutos que as vezes se fazem necessário em função do tópico? Isso não é microlearning. Ou qualquer tipo de treinamento mais longo, mais extenso, que exija um pouco mais de profundidade.

“É evidente que o microlearning não serve para tudo, mas serve para tudo que antigos formatos não entregavam. A dica é: menos, é mais. As vezes um vídeo rápido gravado no celular com recursos simples, é mais eficaz que um vídeo super elaborado com vários recursos de edições. “Lembrando ainda que para ser microlearning, mesmo que o assunto seja extenso, é necessário compartimentar em vários temas e tópicos, facilitando assim a busca por um tópico específico por parte da pessoa que faz parte do treinamento”.

Microlearning na educação corporativa

Na educação corporativa, a metodologia consiste em subdividir o conteúdo a ser estudado em pequenos blocos e disponibilizá-los por meio de vídeos, áudios, imagens, jogos, testes, frases e textos que possam ser acessados a qualquer momento e de qualquer lugar.

A chave do microlearning é que o conteúdo seja breve. “Ampliando a liberdade dos profissionais para receber o treinamento é possível atualizar de forma mais ágil as informações que precisam ser reforçadas. Assim, a aprendizagem torna-se interessante e flexível”.

Assim, o trabalhador pode aproveitar o período gasto até chegar à empresa ou ao voltar para casa para ouvir um podcast sobre determinado conteúdo, por exemplo. Pode ainda assistir a um vídeo ou responder a um quizz enquanto aguarda atendimento em alguma fila, ou, trocar as correntes de whatsapp que porventura tenha o hábito de receber e disseminar por mensagens e frases instrutivas vindas da organização em que trabalha.

Microlearning X E-Leaning: diferenciais

A ferramenta tem muitas vantagens em relação ao e-learning tradicional. Em primeiro lugar, o microlearning é uma metodologia mais envolvente e, por isso mesmo, mais eficaz em engajar o profissional. Mas há várias outras características que o tornam uma abordagem diferenciada:

– Rapidez da entrega: como os conteúdos de microlearning são curtos, uma pílula dura entre 3 e 5 minutos, ele permite que a empresa responda de forma mais rápida a mudanças de metas e novas demandas de treinamento.
– Custo baixo: um curso de microlearning requer menos recursos e menos instrutores, sendo, por isso, muito mais barato de se produzir.
– Flexibilidade: as pílulas de conteúdo podem abranger qualquer assunto, desde que de forma compactada.
– Alto poder de retenção: o microlearning permite ao aluno rever o conteúdo várias vezes, se desejar, o que facilita a apreensão do conhecimento.
– Liberdade de tempo e lugar: o aprendizado pode ser desfrutado em hora e local determinados pelo usuário, de acordo com suas escolhas e possibilidades.

Gostou? Compartilhe