O que você precisa saber sobre competências de líderes

O que pode ser feito para fortalecer a empresa por meio do protagonismo da liderança? Esta foi a indagação que guiou o desenvolvimento do Manifesto de Atitudes da Liderança que aconteceu na 8ª edição do Fórum de Líderes no Grande Hotel Senac, em Campos de Jordão, nos dias 27 a 29 de junho. A iniciativa realizada pela Brazilian Association for Training & Development (ABTD) tem o objetivo de identificar as características indispensáveis em um executivo para alcançar bons resultados no cargo com ações de melhores práticas.

Ao todo, o documento tem 20 páginas que abordam aspectos como simplicidade, integridade, felicidade, disponibilidade verdadeira, conectividade, escuta legítima e adaptabilidade.

Em relação à importância do Manifesto para o universo corporativo, a CLO da SG – Aprendizagem Corporativa desenhada sob medida Flora Alves, acredita que a percepção dos profissionais sobre quais devem ser os comportamentos ideais para líderes é bastante diversificada por conta do mundo atual no qual existem modelos de aprendizagem e mudanças nas relações interpessoais no ambiente de trabalho. Portanto, não tem mais sentido promover palestras sobre o tema sem pesquisas ou atividades colaborativas prévias.

“Quais devem ser as atitudes de um líder? Quais comportamentos precisam ser desenvolvidos nas organizações como evidências das competências dessa liderança? Quais são as expectativas dos colaboradores sobre a postura do líder? Estes tipos de questionamentos não podem ser solucionados sobre o ângulo de alguém que estuda o assunto. Na verdade, devem ser respondidos por quem vive a realidade do mercado. A partir do momento em que o Manifesto com base em uma visão compartilhada se concretiza, os executivos que exercem a função de liderança têm a oportunidade de entrar em contato com caminhos seguros para as suas atuações de tal maneira que consigam obter ótimos resultados”, afirma.

A especialista em T&D foi a responsável por nortear a construção do documento em parceria com Paulo Alvarenga, sócio fundador da consultoria Crescimentum.

Por melhorias

“Estamos vivendo em uma fase onde o compartilhamento é fundamental e precisa ser disseminado com mais frequência na sociedade seja no formato econômico, de ideias ou em espaços físicos para que as pessoas sintam-se apoiadas e reconhecidas. Por esta razão, fomentamos este princípio durante o Fórum. Daqui para frente, espero que os presentes tenham entendido os benefícios deste elemento nas empresas em conjunto com atributos como empatia e cuidados com o desenvolvimento dos colaboradores. A intenção é que as competências de liderança não parem em um documento e sim ganhem vida em iniciativas organizacionais”, pondera a CLO sobre expectativas pós-manifesto.

O primeiro passo na construção do Manifesto foi o pensamento de que para chegar a um material que representasse a visão dos profissionais era necessário desenvolver um conteúdo próprio em vez de oferecê-lo pronto. Essa decisão ajudou na escolha de conduzir o processo com a utilização de um debate saudável entre os envolvidos. Em seguida, o desafio tornou-se o de escolher caminhos capazes de atingir o público com efetividade. Portanto, metodologias práticas como o Lego Serious Play foram escolhidas em vez de apenas uma verbalização de ideias. “Uma das dificuldades ao longo da experiência foi a de conciliar horários na agenda para que todos pudessem contribuir, pois o evento contou com um grande grupo”, revela Flora.

Quanto ao ponto alto, a especialista cita a confiança e coleguismo com a Crescimentum. “Construir um processo desses a tantas mãos exige que os envolvidos tenham confiança e comprometimento. Apesar de sermos concorrentes, optamos por trabalhar juntos. Escolhemos mergulhar de cabeça nesta atividade com muita parceria e engajamento”.

Gostou da iniciativa? Para ler o Manifesto na íntegra, clique aqui.

Leave a Reply


Agenda #EscolaVivaSG