Como está a saúde dos seus colaboradores (e por você deve se preocupar com esta questão)?

Uma pesquisa mundial realizada no ano passado pela empresa norte-americana Xerox em parceria com a farmacêutica Pfizer identificou que houve um aumento de empresas focadas em proporcionar o bem-estar no ambiente de trabalho.  Em 2014, 56% das multinacionais afirmaram ter programas de saúde nas estratégias de negócio enquanto que em 2016 este número cresceu para 69%. Entre as regiões com maior preocupação em desenvolver iniciativas de promoção da qualidade de vida está a Ásia e América Latina.

Neste contexto, a pergunta da vez é: Por que o incentivo do bem-estar é tendência no universo corporativo? Na prática, a iniciativa é a responsável por gerar disposição, comprometimento, engajamento, criatividade, pró-atividade e produtividade já que os programas de saúde servem para equilibrar o estado físico e emocional dos colaboradores em meio às atividades de um dia normal de trabalho que costumam ser movidas a prazos apertados e estresses.

Outro benefício que pode ser observado é a diminuição de gastos médicos por conta de doenças decorrentes da exaustão ou pressão em finalizar as demandas. A queda do turnover também acontece, afinal, quando os funcionários estão satisfeitos com a organização não tem o interesse de procurar uma oportunidade na concorrente. Por fim, o incentivo do bem-estar é capaz de fortalecer a imagem de marca empregadora da empresa e contribuir para a atração/retenção de talentos.

“Cuidar da saúde dos colaboradores não é apenas positivo para o profissional, pois as empresas são formadas por pessoas. Então, o investimento no capital humano é fundamental para resultar aos poucos em um crescimento corporativo sólido. A área de Recursos Humanos precisa priorizar a construção de medidas como assistência médica, previdência privada, exercícios físicos e horários flexíveis”, afirma Flora Alves, CLO da SG – Aprendizagem Corporativa Desenhada Sob Medida.

Por fim, a especialista aponta os espaços de descompressão como uma alternativa que está cada vez mais conquistando as empresas. Trata-se de ambientes nos quais os funcionários tem a possibilidade de fazer uma pausa, relaxar e retomar o fôlego para retornarem revigorados as atividades. Nesta ação, a decoração e a arquitetura organizacional são alimentadas com puffs, mesas de jogos, TVs, sofás, livros, paredes decoradas de forma dinâmica e inspiradora e cafés coletivos. Essa estratégia começou com as grandes Google, Microsoft e Apple e no Brasil está sendo feita no Citibank, SulAmérica e Infraero.

“A proposta em si é aliviar a tensão para a retomada da criatividade, foco e energia. As salas de descompressão também exercem um papel estratégico, pois estimulam a satisfação dos colaboradores em estar naquele ambiente. Contudo, é necessário tomar cuidado no momento de criar um espaço como este para gerar um equilíbrio no qual o relaxamento estará centralizado”, explica Flora. “É imprescindível lembrar que seja uma grande ou pequena empresa, o bem-estar do funcionário é de extrema importância para as companhias que buscam estar em um ambiente saudável ao mesmo tempo em que otimizam os resultados do negócio”, finaliza.

Recentemente uma ação de descompressão foi implantada na SG. Veja imagens abaixo do resultado final:

 

E você? A sua empresa já está com o pensamento no bem-estar dos colaboradores? Conte para a gente!

Leave a Reply


Agenda #EscolaVivaSG