Caminhos da aprendizagem: o segredo para um treinamento eficaz

Dizer que a área de Treinamento & Desenvolvimento de uma companhia está atrelada ao sucesso do negócio não é novidade para ninguém. Diante deste cenário, os instrutores enfrentam o grande desafio de garantir a construção de um projeto de treinamento eficaz. Ou seja, capaz de transmitir as informações que o colaborador realmente necessita entender por meio das melhores formas de internalizá-las. Neste contexto, é fundamental refletir sobre o seguinte questionamento: você sabe quais são os estilos de aprendizagem dos treinandos? Pois, deveria.

Um dos caminhos para desenvolver programas de educação corporativa assertivos é ter em mente o funcionamento do cérebro. Afinal, o ser humano adquire conhecimento por intermédio de cinco sentidos, portanto, cada pessoa tem afinidade com um tipo de aprendizagem. Por exemplo, o funcionário pode ter facilidade para absorver conteúdos pela audição ou visão.

Na prática, a quantidade de estilos de retenção de informações depende de linhas de estudo do segmento de Educação. Mas, entre os principais estão audição, visão, paladar e olfato. Estes sentidos são responsáveis por identificar os dados e as encaminhar de forma fragmentada em direção ao cérebro. Por sua vez, ele capta os sinais emitidos e os integra com o objetivo de “reconstruir a realidade”. O fenômeno acontece porque a mente é um espaço de armazenagem, o que permite um trabalho de interpretação de novos estímulos e ressignificação dos antigos.

“Para quem trabalha com processos de aprendizagem, compreender o funcionamento do cérebro é um diferencial porque nem todo mundo internaliza conteúdos do mesmo jeito. Esta iniciativa é uma aliada para identificar lacunas que dificultam a retenção de conteúdo e na criação de técnicas para otimizar a transmissão de conhecimento, e por consequência, potencializar o entendimento máximo de conteúdos. É um detalhe, porém, os envolvidos no universo da Educação deveriam prestar atenção”, afirma Flora Alves, CLO da SG Aprendizagem Corporativa.

A especialista separou uma introdução de cada estilo de aprendizagem. Confira abaixo!

Visual

O principal elemento de fixação de conteúdo são as imagens, gráficos, diagramas, vídeos e afins. A pessoa visual também tem uma tendência a pensar e comunicar-se por desenhos.

Auditivo

As pessoas auditivas registram melhor as informações quando estão no formato de áudio. Então, gravar aulas, escutar música na hora de estudar e utilizar vídeos são ótimas escolhas de aprendizagem. Para identificar alguém favorável ao áudio, basta prestar atenção no tempo de leitura. Eles costumam ser mais lentos para ler e dão preferência a apenas ouvir em vez de fazer anotações.

Cinestésico

Esse tipo de aprendizagem exige prática e movimento pois é realizada pelo tato. Ou seja, situações práticas são imprescindíveis para evitar um desvio de atenção. De forma geral, o pensamento cinestésico costuma ser amplo e as pessoas anotam de acordo com o seu raciocínio e não levando em consideração o que é dito em sala de aula.

Leitura/Escrita

A leitura ou escrita traz conforto para o ato de reter informação. Textos, listas, livros ou manuais fazem a alegria de quem aprende por este estilo. Essas pessoas fazem anotações de palavras por palavras e tem a aprendizagem facilitada quando recebem dados adicionais em frases pronunciadas.

Por fim, é importante ressaltar que os colaboradores podem se encaixar em um ou mais estilos. O ideal é prestar atenção para encontrar o melhor caminho de retenção de informações.  

Leave a Reply


Agenda #EscolaVivaSG